Formas

Fonte: Jogo do Pau Português

«Formas», o que é?

Como todas as artes marciais, a Forma é um conjunto de movimentos que simula o ataque e a defesa de uma situação real numa luta imaginária contra vários adversários que segundo estas diferentes «formas» estarão colocados em diversos ângulos de ataque. Aqui estão incluídos os chamados «JOGOS DE CRUZ», «JOGO DOS VARRIMENTOS», «JOGOS DE QUADRADO», etc.

Estas Formas podem ser realizadas individualmente ou em conjunto. Cada movimento tem a sua interpretação, devendo ser respeitado o seu tempo e aplicação.

Jogo da Cruz

Segundo as palavras do Mestre Caçador, para o Jogo da Cruz, são 4 homens, e mais um no meio, este, faz pancadas cruzadas e varrimentos, afim de afastar os seus atacantes. É fácil ver que o que está no meio tem que desenvolver uma grande rapidez; e diga-se, que não é coisa fácil; um jogador defender-se de 4; quando às vezes um chega para outro.[1]

Este treino é executado através de uma forma em cruz, sendo as pancadas executadas nos vértices dessa cruz e voltando sempre ao meio.

Para esta forma existem dois meios de o fazer, por via de uma pancada directa (1ª Forma), ou saltada (2ª Forma).

O Jogo da Cruz pode ser também utilizado apenas contra dois adversários, mantendo com isso uma função semelhante à do Jogo de um para dois.

Para desgastar os adversários, conta Quintas Neves:

« O Manilha (...) manteve-se paulatinamente a cansar-lhes os braços com movimentos mais largos do jogo da cruz; »
Artigo em O Comércio do Porto, ano XX, supl. nº 14, Porto, 8, VI, 1971 por José Afonso Quintas Neves : O Manilha - Uma Espera em Velhos Tempo (ver mais)

Podemos ler ainda, em 1886, no livro a «Arte do Jogo do Pau» de Joaquim Ferreira:

« Varrimento de Cruz: Quando o inimigo me vier com uma pancada á cabeça ou da banda, devo retirar um passo e varrimento a retaguarda, vir à frente com o mesmo passo e varrimento para inimigo. E d'ahi devo vigiar passo e apanhar o varrimento pela minha frente à retaguarda »
FERREIRA, Joaquim António, A arte do Jogo do Pau, Guimarães, Ed. Albino Moreira d’Oliveira, 1886 (ver mais)

Vídeos com Formas da Cruz

Segunda forma da Cruz do Meio (Lisboa)

Treino Realizado no Ginásio Clube Português sob a direção do Mestre Nuno Russo
Exercício executado por: José Augusto, Carlos Fernandes, Nelson Neto e Sérgio Melo.

Forma Cruz Rodada (a bater) - Criada pela Escola de Jogo do Pau de Messines/Silves

Forma executadas com bengalas no Campeonato do Mundo de Ténis Escolar 03-04-1998

Forma Cruz da Roda Viracostas Saltados

Forma criada pela Escola de Jogo do Pau de Messines/Silves. Executada pelo Mestre Mestre Hélder Valente, Túlio Martins, Ana Alves e Sara Ribeiro. Esta Forma de Roda, é constituída por Viracostas saltado pela direita (defensivo) e Viracostas saltado pela esquerda (ofensivo).

Forma da Cruz Simples (Fafe)

Forma da Cruz executada pela Escola do Mestre Portela em 1975. Fonte "O Povo e a Música - RTP"

Jogo do Quadrado

Este jogo é feito utilizando os viracostas, e mantendo o principio os executantes vão progressivamente ocupando os lugares uns dos outros, é outra forma de jogo de feira, que assenta num principio fundamental - O de não deixar entrar nenhum adversário dentro do quadrado - cobrindo uma área que fica, deste modo, protegida; conhecem-se várias formas, decorrentes do sentido que tomam os vira-costas com que se executam os lados do quadrado, e as pancadas com que se concluem cada um dos ângulos: pela direita, esquerda, e esquerda com o vira costas inverso.[2]

« Estando quatro companheiros ameaçados, devem fazer quadrado à distância de quatro passos uns dos outros; e quando vierem os inimigos por um dos lados, devem os dous retirar um passo à retaguarda e vir à frente para ter mão no inimigo; os outros dous devem ladear um pela direita e outro pela esquerda para cortarem a retaguarda aos inimigos e ficar o quadrado feito, devendo tambem vigiar um passo as costas uns dos outros, e marchar com dous passos salteados à frente. Igualmente hao-de vigiar meio passo para a direita ou para a esquerda e marchar com dous passos e varrimentos salteados para cortar o inimigo, e sempre vigiando as costas uns dos outros.»
FERREIRA, Joaquim António, A arte do Jogo do Pau, Guimarães, Ed. Albino Moreira d’Oliveira, 1886 (ver mais)

Jogo dos Varrimentos

 Sem informação disponível até à data.
2021 - Treino Jogo do Pau com Professor António Lima

Treino orientado pelo mestre António Lima na Capela de São Mamede de Janas em Sintra.
Execução do Jogo das Varrimentas e no fim, Jogo com Luis Costa

Referências

  1. CAÇADOR, António Nunes, Jogo do Pau teórico, Lisboa: ed. Autor, 1943 (sobre o livro)
  2. SIMÕES, Rui Fernando Almeida, O Jogo do Pau em Portugal: processos de mudança, Universidade Nova de Lisboa, 1990, pp 84-85 (ver mais)