Mestre: Silvino Melro

Fonte: Jogo do Pau Português
(Redirecionado de Silvino Melro)
Outros nomes Melro
Nascimento 1909
Morte 1980
Nacionalidade Portuguesa
Naturalidade Moita
Escola Lisboa

Sobre

Mestre Silvino Marques Campante, de alcunha «Melro», nasceu na Moita em 1909, foram seus mestres Domingos Henrique Margarido e João Lavrador do Barreiro.[1]

Abriu escola na Moita, dava aulas no salão dos Bombeiros na Moita e teve numerosos alunos, provenientes não só da Moita, mas dos arredores, sobretudo de Barra Cheia. Entre os alunos mais próximos estavam Manuel Cunha, Silvino Botas, e como elemento da escola (embora discípulo do mestre Moleiro, de Valdera), António Brinca. A escola terminou em 1980, com a morte do mestre.

Conhecimentos técnico

Mestres onde obteve conhecimentos técnicos do Jogo do Pau português:

Publicações onde é citado

«De todas as Escolas que rivalizaram na nossa região, duas se distinguem em termos técnicos, que alguns dos seus discípulos tentam manter. Devido a percursos e aprendizagens diferentes essas Escolas são simbolizadas nos seus principais mestres: António Moleiro e Domingos Margarido. Ambos caramelos, um de Pinhal Novo e o outro de Valdera. Foi em torno destes dois símbolos do Jogo do Pau Português que aprendem dezenas de jovens, do Penteado a Águas de Moura, de Palmela a Pegões. Os discípulos destes mestres formaram novos núcleos em praticamente todas as localidades da região.

O trabalho destes primeiros mestres, que estão referenciados documentalmente, de recolher e estudar todas as técnicas e estilos conhecidos, contactando regularmente com outras escolas e outros jogadores, permitiu que tudo pudesse ser sistematizado por duas figuras ímpares do Jogo do Pau Português, os Mestres José Ribeiro Chula e Silvino Melro. Em torno destas escolas assenta todo o saber do Jogo do Pau, Caramelo, do Sul, da Borda d’ Água, ou outra. Após a morte destes Mestres o Jogo do Pau na nossa região entrou em declínio.»
Artigo em Actas da 2ª Eira Folclórica da Região Caramela. Lagameças: 2 e 13, Fevereiro, 2000, Rancho Folclórico “Os Fazendeiros” das Lagameças, 2000 (ler todo o artigo)

« (...) o António Moleiro ... foi o meu mestre (António Brinca) e o mestre do José Chula, mas tive umas lições... nós fomos aprender os quatro ao mesmo tempo, eu, um primo meu (Antonio Domingos Verissimo), o José Chula e o Silvino Melro (...) os melhores jogadores que o Margarido teve, (foram) o João Estilhano, e o António Domingos Costa, que era o meu primo. E era o Silvino Melro. (Entrevista a António Brinca em 1989)

(...)

Silvino Marques Campante (1909-1980). de alcunha "Melro", natural da Moita, aonde veio a abrir escola, teve numerosos alunos, provinientes não só da Moita, mas dos arredores, sobretudo de Barra Cheia. Entre os alunos mais próximos estavam Manuel Cunha, Silvino Botas, e como elemento da escola (embora discípulo do mestre Moleiro , de Valdera), António Brinca. A escola terminou com a morte do mestre. »
Artigo «O Jogo do Pau em Portugal: processos de mudança, Universidade Nova de Lisboa» 1990 (ver mais)

« Os portugueses têm três escolas desta esgrima: a do Norte, em que as pancadas são desferidas com as duas mãos, não se ligando importância à maneira de pisar o terreno; a da Moita do Ribatejo, onde mestre Silvino Melro. que tem uma escola de mais de 40 jogadores. Não inclui no seu ensino uma posição definida dos pés: e a de Alhos Vedros, onde José Ribeiro Chula mantem um aperfeiçoamento digno de louvor, mas não tem, como gostaríamos de ver, uma escola como a da Moita. »
Artigo em JP, de Set/Out. 1974 por Mestre Armando Sacadura : O Jogo do Pau - O que se sabe acerca desta luta tipica portuguesa (ler a notícia)

GRANDIOSO JOGO DE PAU
ALHOS VEDROS
Cujo produto liquido reverte a favor do acabamento das Obras do Hospital da Misericórdia
Domingo, 8 de Maio de 1960 - Às 16 horas

Silvino Melro
Da Moita. Grande Mestre arroteense, que devido ao seu franzino corpo demonstra sempre grande destreza,
e que se fará acompanhar dos seus discípulos e condiscipulos que são os seguintes:
Folheto de divulgação de um Grandioso Jogo de Pau em Alhos Vedros 1960 (ver mais)

« Grandiosa Tarde de Jogo de Pau e Baile

Que se realiza no Domingo, 17 de Julho de 1960 - As 18 horas,
BREJOEIRA no recinto do Sr. Tomé (junto à estrada da Moita a Palmela)
(...)

Silvino Melro
Conhecido na sua região como um de grandes mestres desta modalidade, que também apresenta os seus mais destemidos discípulo Manuel Cunha, António S. Brinca e Joaquim M. Espalha »
Folheto de divulgação de uma Grandiosa Tarde de Jogo de Pau e Baile 1960 (ver mais)

« Grandiosos assaltos de JOGO DE PAU, tomando parte nesta festa os seguintes jogadores:

Silvino Melro, da Moita, conhecido como um dos melhores jogadores da nossa região. »
Folheto de divulgação de evento com "Fados, Guitarradas e Jogo do Pau" em Alhos Vedros, 1948 (ver mais)

« Na velha Praça de Toiros da Vila da Moita, a partir do dia  dia 26 de Novembro de 1922, o Jogo do Pau teve a sua estreia e fez parte em muitos espectáculos ali realizados, durante muitos e muitos anos. Nomes que fizeram história no Jogo do Pau:
Mestres:
Daniel Lourenço, António Moleiro Calado, Domingos Miguel, José Ribeiro Chula, Domingos Henrique Margarido, Varejão, Manuel Cunha, Silvino Botas, Luis Pascoal, David Azenha, Silvino Romão, Manuel Salvador, Luis Batata, Antonio Policarpo da Cruz, Custódio das Neves, Casimiro Delgado, João Lavrador , Domingos Miguel, Henrique Valente, Elías Gameiro, Mário Leça, Policarpo Cruz, Manuel Pereira, Manuel do Nascimento, Pedro Ferreira, Abel Couto, Augusto e Domingos Lopes Morais Calado, Augusto dos Santos Bragança, José Mendes, Adelino Transmontano, José da Costa, José Gonçalves Cardoso, Silvino Melro, Fernando Pires e Paulo Brinca, a quem o seu avô lhe deixou os seus ensinamentos. »
Recorte de jornal (ver mais)

Galeria de imagens

Vídeos

Noticiario Festas NS Piedade 1968.jpg O documentário é visualizado no link externo da RTP Arquivos

Aos 47 minutos pode ver uma demonstração de Jogo do Pau, feito pela Escola do Mestre Silvino Melro. Identificado no grupo de Jogadores com um lenço pendurado no cinto.

Ver também

Referências

  1. CAÇADOR, António Nunes, Jogo do Pau: esgrima nacional, Lisboa: ed. Autor, 1963 (sobre o livro)